Você está em >>> Ufologia Crística  >>> Acesse o Índice de UFOLOGIA CRÍSTICA

 

UFOLOGIA CRÍSTICA

 

POR QUE OS ETs NÃO SE MOSTRAM?

 

    Por Wilson Mello Franco

 

A revista Mundo Estranho, da Editora Abril, em sua edição de outubro de 2008 fez uma breve simulação do que aconteceria se de repente os ETs resolvessem sair da obscuridade e se revelassem aos governos do nosso planeta.

 

Primeiro os astrônomos mandariam um sinal inteligível a partir do SETI, sigla em inglês do projeto que varre o espaço em busca de extraterrestres, fundado em 1984, enviando ondas de rádio que vasculha o espaço em busca de extraterrestres, enviando ondas de rádio com mensagens em direção a outras estrelas que se supõe poderiam conter sistemas planetários passíveis de existir vida inteligente.

 

Existiriam na Via Láctea, nossa galáxia, cerca de 10 planetas semelhantes ao nosso e, portanto, passíveis de abrir vida, quiçá, inteligente. Estima-se que existiriam, por baixo, mais de 100 milhões de galáxias como a nossa, pelo que é só fazer as contas e veremos que pelo menos 1 bilhão de planetas teriam potencial para abrigar vida e, claro, civilizações até muito mais avançada que a nossa. Isso é realidade, é fato endossado pelos maiores astrônomos da atualidade!

 

Evidentemente essa busca envolve mais sorte do que alguma possibilidade de que alguma civilização pudesse captar os sinais, entendê-los, e responder de forma inteligível a nós. Vários sinais já foram captados do espaço, mas nenhum seguramente interpretado como prova de existência de vida inteligente fora da Terra.

 

Nesta simulação, porém, os sinais enviados não somente seriam perfeitamente entendidos como ainda seriam marcados o dia e hora iminentes para ocorrer o encontro. Para isso eles dariam sinais inequívocos, bem claros, de que estão “na área”. As notícias correriam o mundo rapidamente. Apesar de serem pacíficos, o resultado desse anúncio, absolutamente pacífico, logo levaria a mídia sensacionalista a levantar a hipótese de que eles estão aqui para nos conquistar e escravizar, como numerosos filmes mostraram no passado. Insuflados por seus conceitos religiosos, o pânico se instauraria, abrindo caminho para a eclosão de uma grave crise econômica e moral-religiosa.

 

De acordo com a simulação da revista, em seguida haveria calma, os arcontes de todas as religiões se adaptariam à nova situação, dizendo que eles também são filhos de Deus, a humanidade finalmente seria fraterna, pois eles promoveriam a paz e finalmente ficaria entendido que o conceito de raças inferiores humanas é uma falácia. 

 

Quem ganharia mesmo seriam todos os ramos das Ciências: eles nos ensinariam como curar todas as doenças, tecnologia avançada, particularmente no tocante às viagens interplanetárias.

 

Esse cenário imaginado pela revista parece muito promissor. E é assim que a revista encerra sua simulação. Mas não é bem assim que vemos nos numerosos filmes que, em sua quase totalidade, retratam os ETs como seres demoníacos que querem nos escravizar e roubar os recursos de nosso planeta.

 

Mas, conhecendo a nossa natureza, certamente os resultados seriam outros. Os arcontes religiosos se sentiriam ameaçados, pois sempre pregaram que os seres humanos são a suprema criação de Deus, e sempre negaram tudo que não esteja de acordo com suas crenças e, sobretudo, seus interesses político-financeiros.

 

Em dos mais famosos episódios de abdução da casuística ufológica, o do casal norte-americano, Barney Hill e sua esposa Betty, quando Betty mencionou Deus, o ser que conversava com ela perguntou: O que é Deus

 

Suponhamos que os ETs mantivessem essa postura, como seria interpretada pelos arcontes religiosos? Eles teriam duas opções: renunciar à mamata da qual usufruem por meio de privilégios políticos, ou insuflar a população mundial contra eles, dizendo que seriam demônios enviados por Satanás para levar a humanidade ao caminho da perdição e - por que não - destruir a Terra. 

 

Os ETs teriam duas opções: assim que pousassem sua nave em Washington, sendo recebidos pelo presidente dos EUA e membros da ONU, para acalmar rapidamente a população passar uma mensagem fortemente de cunho religioso favorável aos arcontes religiosos – o que os tornaria cúmplices do status quo atual e mentirosos, ou correrem o risco de serem chamados de demônios, e consequentemente hostilizados.

 

É certo então, que não se mostram em função de nossa natureza ignorante, e por não ser este o momento adequado. É o que dizem todas as profecias que conheço e que, de forma aberta ou metafórica, mencionam a presença dos ETs nos “últimos dias”, nos chamados tempos apocalípticos de nossa civilização que, em última análise, nada mais é do que a passagem da raça humana à condição de “deuses”, isto é, a vitória total da Ciência sobre todos os tipos de ignorância atualmente reinante, e domínio completo do conhecimento da verdade sobre o homem. De modo que "conhecereis a verdade e sereis livres". Só a Ciência - e ninguém mais do que ela - pode libertar o homem desta escravidão voluntária a que se submeteu. Sim, a escravidão é voluntária, pois o homem é intrinsecamente um deus por natureza - um deus decaído, sim, mas ainda assim um deus! 

 

 

 

VEJA TAMBÉM: PORQUE OS ETs NÃO SE MOSTRAM - PARTE 2

      O cinema veria realmente os ETs como uma ameaça à nossa sobrevivência, ou a própria humanidade como inimiga de si mesma?

 

 

O Triunfo dos deuses Jesus Cósmico: Os ETs na Religião

OUTROS TEMAS SOBRE UFOLOGIA  -   ERAM OS DEUSES CABALISTAS?

 

 

 

 ® DIREITOS RESERVADOS - LEI 9610 dos Direitos Autorais, de 1998.