Você está em >>> Mente e Consciência>>> Acesse o Índice de Mente e Consciência

 

MEMÓRIAS DE VIDAS PASSADAS

 E JILL PRICE, A MULHER QUE NUNCA ESQUECE

 

Por Wilson Mello Franco

 

 

           Jill Price

 

Jill Price é uma nova-iorquina nascida em 1965. Ela é das poucas pessoas no mundo que tem uma memória fotográfica, e vem sendo alvo de pesquisas científicas. Ela não esquece nada, desde os 14 anos de idade.

 

Aparentemente isso seria uma virtude, mas, de fato, é um tormento para ela. Ela se lembra de cada mínimo detalhe de todos os dias de sua vida, desde essa idade: lembra-se do que comeu, do que fez, em detalhes, cada dia, desde então.  Para a Ciência, isso não é uma virtude, mas uma síndrome.

 

Entrevistada no programa 20/20 e Bom Dia América, da CBS, pela apresentadora Diane Sawyer, esta lhe perguntou sobre fatos relativos aos seriados exibidos na CBS, e Jill não somente encarou todas as perguntas como ainda forneceu detalhes metereológicos ocorridos no dia que certos capítulos de alguns seriados foram exibidos!

 

Mudando de assunto, a entrevistadora perguntou a Jill em que dia a princesa Grace (de Mônaco) havia morrido. Sem pestanejar, Jill respondeu imediatamente como se já tivesse a resposta ensaiada: 14 de setembro de 1982. Diane lhe perguntou se havia a possibilidade de sua memória falhar e a resposta foi “não”. Então Diane lhe disse que a resposta que estava em sua ficha era 10 de setembro, e que esses dados haviam sido retirados de um livro no qual estavam se baseando. Jill, sem se abalar, disse que o livro estava errado, e que a data correta era mesmo 14. A produção foi pesquisar de novo e em um minuto retornou com a resposta correta: 14.

 

Em um teste efetuado com Jill por um psicólogo cognitivo, este lhe pediu para citar a data de um desastre significativo de aviação. Imediatamente Jill começou a listar a data de todos os acidentes importantes ocorridos e que se encaixavam na resposta. Não somente podia dar a data como ainda, se quisesse, podia fornecer detalhes de como ocorreram. Quando lhe era dada um data de um acidente, ela descrevia onde foi, e como havia ocorrido.

 

Sobre sua própria vida, Jill pode dizer detalhes espantosos do que fez, digamos, em todas as segundas-feiras de sua vida, a partir dos 14 anos. Evidentemente Jill só pode se lembrar de coisas que viu na TV, ouviu falar, ou leu, ou de fatos nos quais esteve diretamente envolvida. Contribui o fato de ela ser uma assídua tele-expectadora, daí o fato de ter se lembrado dos seriados da CBS, aos quais havia assistido. [Claro, seria ilógico que ela se lembrasse daquilo que nunca viu, ouviu, leu ou participou!]. Mas testes mostraram que sua memória não é infalível no que concerne a decorar uma lista de palavras na ordem em que foram ditas. Ela acrescenta ou deixa de mencionar palavras.

 

Tudo indica que esta capacidade fantástica de Jill começou com um trauma quando sua família se mudou de New Jersey (costa leste dos EUA) para Los Angeles (costa oeste) e ela não apreciou a mudança, seguida depois por uma mudança para uma casa menor. Não se sabe o que exatamente desencadeou essa síndrome. Ela relatou que sua mente parece estar dividida em duas telas: em uma ela vê o presente, e em outra o passado. Imagens escaneadas de seu cérebro parecem indicar um cérebro parecido com pessoas portadoras de síndrome compulsivo-obsessiva. 

 

Jill Price foi entrevistada pelo programa Fantástico, da Rede Globo, em maio de 2009. Ela revelou que as memórias ficavam passando o tempo todo diante de sua cabeça. Para que pudesse ficar em paz, ela as escrevia, possuindo um caderno com numerosas anotações. Mais uma vez ela deu demonstrações de sua fantástica memória. A matéria pode ser encontrada na página do Fantástico, no site da Rede Globo.

 

 

 

Temas relacionados:  Hipertimesia (página anterior)

                                Mais sobre Vidas Passadas

                                Mais sobre Alma

                                Mais sobre cérebro

 

 

    

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 ® DIREITOS RESERVADOS - LEI 9610 dos Direitos Autorais, de 1998.