Você está em Espiritualidade >>>>> Acesse a página inicial de Espiritualidade

 

 

Sarah Good no banco

dos réus:

foi enforcada.

  (Museu de Salém)  

BRUXAS DE SALÉM

QUANDO A IGNORÂNCIA TRIUNFA

 

continuação da página anterior

 

por Wilson Mello Franco

 

 

As meninas acusavam sistematicamente, e em determinado momento 150 pessoas abarrotavam a prisão esperando sua vez de depor, enquanto outras eram torturadas e executadas na forca. Doze pessoas foram executadas, dezenas de outras torturadas. A histeria tomou conta do lugar, e mesmo pessoas influentes começaram a ser acusadas, e nem mesmo os animais foram poupados da acusação de bruxaria: dois cachorros foram enforcados!

 

Por mais paradoxal que pareça, se a pessoa confessasse que realmente tinha parte com o demônio, escapava das punições, pois se acreditava que a confissão quebrava o pacto com o diabo, minando-lhe a força de atuação. Mas a vergonha de confessar isso, de ficar marcado frente à comunidade, levou muitas pessoas a preferir os mais hediondos métodos de tortura, como a colocação gradual de pedras sobre o corpo do acusado, que, se não confessasse, morria esmagado. Com os que morreram sob tortura, as vítimas chegaram a 20.

 

 

  Rebecca Nursey, 72 anos,

foi torturada e acorrentada

pelo pescoço 

(Museu de Salém) 

 

              Ciúmes, rixas, invejas, cobiça, intriga, tudo foi levado para o tribunal como se fosse bruxaria.

 Perdeu-se qualquer consideração pelas pessoas:

Rebecca Nursey, uma senhora de 72 anos, mãe de 11 filhos e 26 netos, caridosa e religiosa, foi sumariamente enforcada simplesmente porque o tribunal apresentou nos autos “provas concretas”  contra ela. 

            

O terror pairava sobre a comunidade, os órfãos vagavam famintos pela cidade, e a normalidade só voltou a Salém quando a própria mulher do governador foi acusada de bruxaria, por ser amiga da senhora Carey, cujo marido, rico e influente, subornou os guardas da prisão para que a libertassem.

 

 

 

 

 

 

Imagem: Processo de Rebecca Nursey

MUSEU DE SALÉM

       

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O governador extinguiu o tribunal, e, mais tarde, as excomunhões foram suspensas, as famílias dos acusados indenizadas e a reputação dos executados foi restaurada.

 

Betty Parris alguns anos mais tarde se casou com um comerciante, e se mudou de Salém. Mary Walcott morreu jovem. Abigail Williams enlouqueceu. E de Anne Putnan nada se sabe. Salém se tornou a meca das Bruxas, e hoje a cidade mantém um museu estilo noir para os turistas.

  

 

No chão do...

 MUSEU DE SALÉM ...

 

... Um disco com a inscrição de todos os nomes das pessoas que foram executadas por bruxaria. Desde então, ninguém nunca mais foi condenado nos Estados Unidos por prática de bruxaria.

 

 

 

 

GALERIA DE IMAGENS DE SALÉM

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ENFORCAMENTO DE  F. BURROUGHTS

 

Também homens foram torturado

e enforcados em Salém. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O MUSEU DE SALÉM

Em estilo noir, o Museu de Salém conta todo o drama vivido em Salém em 1692.

 

 

 

 

 

O julgamento de Jacob

QUANDO A IGNORÂNCIA TRIUNFA

As mais absurdas imbecilidades aconteceram em Salém.

Roubo, sadismo, esquizofrenia, sobretudo ignorância.

Até cães foram enforcados!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Giles Corey de 86 anos, sendo torturado, para que confessasse que era bruxo, os acusadores colocavam pesadas pedras sobre seu corpo. Enquanto negava, pedia que colocassem mais pedras: morreu esmagado. Na verdade, queriam roubar suas terras.

 

ENFORCAMENTO DE BRIDGET BISHOP

 

EXAME DE UMA ACUSADA DE BRUXARIA EM SALÉM

 

 

 ® DIREITOS RESERVADOS - LEI 9610 dos Direitos Autorais, de 1998.