Você está em Espiritualidade >>>>> Acesse a página inicial de Espiritualidade

 

 

UMA VISÃO CRÍTICA DE IRINEU 

 

 

Santo Irineu de Lyon

Santo Irineu, o caçador de heresias, invoca Basílides numa diatribe que pretendia refutar a ideia gnóstica que há outro céu acima do céu, e outro deus acima de "Deus". Se for o caso, pergunta Irineu, onde, então, isso para? Se o esquema gnóstico das deidades intermediadas e céus entre a fonte e a criação pretende mostrar quão longe o deus criador está do deus verdadeiro, que garantia temos nós que esta cadeia de emanação não se estende para sempre? 

 

"... pelo que muitos processos de razoamento do qual eles dependem para ensinar de que existe um certo Pleroma ou Deus acima do Criador do céu e da terra, qualquer um que escolhe emprega-los pode sustentar que há outro Pleroma acima do Pleroma, e sobre ele novamente outro ... e assim, a doutrina deles flui em direção à imensidão....  mundos sucessivos sem limites, e deuses que não podem ser enumerados. 

 

 ... O próprio Basílides achará necessário, de acordo com seus próprios princípios, sustentar que não há somente trezentos e sessenta e cinco céus feitos em sucessão um ao outro, mas que uma imensa e inumerável multidão de céus sempre esteve em processo de estar sendo feito, e está sendo feito, e continuará sendo feito, de forma que a formação de céus deste tipo nunca pode cessar... a  operação deve continuar ad infinitum ..." 

 

   

A DOUTRINA GNÓSTICA À LUZ DA CIÊNCIA ATUAL

A MULTIDIRECIONAL  LINHA  FRACTAL  

 

 

Ironicamente, uma visão bem parecida está desenvolvida por Andrei Linde, o físico russo responsável pela proposta do "universo inflacionário autorreprodutor”, de acordo com a qual o universo é um produto de outro universo, e aquele universo o produto de outro antes dele, e assim por diante... 

 

"Se meus colegas e eu estivermos certos, logo poderemos estar dizendo adeus à ideia de que nosso universo era uma única bola de fogo criada no Big Bang (grande estrondo). Estamos explorando uma nova teoria baseada numa noção que tem 15 anos, de que o universo passou por uma fase de inflação. Durante aquele tempo, sustenta a teoria, o cosmo ficou exponencialmente grande dentro de uma fração infinitesimal de um segundo. Ao término deste período, o universo continuou sua evolução de acordo com o modelo do Big Bang. Enquanto os exploradores refinavam este cenário inflacionário, eles descobriram algumas consequências surpreendentes. Um deles constitui uma mudança fundamental em como o cosmo é visto. Recentes versões da teoria inflacionária afirmam que em vez de ser uma bola de fogo se expandindo o universo é um enorme fractal crescente. Consiste em muitas bolas inflando que produzem novas bolas, que por sua vez produzem mais bolas, ad infinitum... 

 

Este processo, que eu chamei eterna inflação, se mantém em continuidade como uma reação em cadeia e produz um padrão fractal semelhante de universos. Neste cenário, o universo como um todo é imortal. Cada parte particular do universo pode originar de uma singularidade em algum lugar no passado, e pode terminar em algum lugar numa singularidade em algum lugar no futuro. Porém, não há nenhum fim para a evolução do universo inteiro.”  

 

 

RETORNA: BASÍLIDES DE ALEXANDRIA  

 

SAIBA MAIS: 

            REPORTAGEM DO NEW YORK TIMES (NOVEMBRO de 2002) 

          Novas teorias admitem a existência de vários universos

 

 SAIBA AINDA MAIS: 

Uma entrevista de Andrei Linde na revista ISTOÉ.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 ® DIREITOS RESERVADOS - LEI 9610 dos Direitos Autorais, de 1998.