Você está em Espiritualidade >>>>> Acesse a página inicial de Espiritualidade

 

 

SERIA APOLÔNIO DE TYANA JESUS QUE NÃO MORREU NA CRUZ?

 

  Veja também: imagens, pessoas e fatos relacionados com Apolônio de Tiana

 

Wilson Mello Franco

 

  

  Estátua de Apolônio jovem, retirada de escavações realizadas

 em Tyana, em 2003

 

          A Igreja e os evangelhos nos contam que Jesus foi crucificado, morreu na cruz, ressuscitou, passou quarenta dias entre seus apóstolos e “subiu aos céus onde está sentado à direita de Deus Pai”.

 

Um ocultista ou cabalista verdadeiro, ou mesmo um pesquisador sério, sabe que o Credo cristão é um procedimento oculto exotérico, e que Jesus desempenhou vivamente um drama corrente nos mistérios. Como bem disse o ocultista Eliphas Levi: "A Igreja Católica detém um conhecimento oculto que os cardeais, e nem mesmo o próprio papa conhecem". Por isso alguns bispos, cardeais e papas (ao menos um, até onde sei, João XXIII) se iniciaram numa logia da grande maçonaria.

 

Atualmente são numerosos os livros que se põem a provar que Jesus não morreu na cruz, senão que teria sido retirado ainda com vida, recuperou-se e se retirou para outro lugar a fim de continuar sua missão.

 

Outros livros e alguns pesquisadores sérios, porém, vão mais longe: simplesmente advogam que Jesus nem sequer foi crucificado!

 

    Este é meu posicionamento e estou firmemente convencido disso com base em "provas" não oficiais colhidas em diferentes fontes. Acredito que tais provas mais cedo ou mais tarde virão à tona e contribuirão para desmoronar a grande farsa montada em torno de Jesus. Essa farsa, porém, foi grandemente necessária, devido ao sinal dos tempos. Por essa mesma razão a doutrina da reencarnação, que foi ensinada por Jesus – e uma pessoa espiritualmente honesta jamais poderá dizer o contrário - foi banida da doutrina cristã no Concílio de Constantinopla (ano 553), a pedido do imperador Justiniano, dominado pela imperatriz Teodora, uma mulher que já havia sido prostituta antes de se converter ao cristianismo, e que queria entrar no céu pela porta dos fundos.

 

Mas agora, em nosso tempo, o momento é da farsa se desmoronar, e não é por acaso que milhões de pessoas estão buscando outras alternativas espirituais, pois já perceberam que a retórica eclesiástica é uma e a prática é totalmente outra. Alguns autores dizem que na verdades não somos cristãos, mas paulinistas.

 

Também o Corão advoga que Jesus nem sequer foi crucificado, mas foi armado um jogo de cena conhecido pelos arcontes do Sinédrio (os islâmicos atiraram no elefante e sem querer acertaram na mosca!) Igualmente os gnósticos dizem que em lugar de Jesus foi crucificado um sósia, posição que também sustento até mesmo lançando mão de passagens dos evangelhos, como aquela em que Pedro entra no recinto no qual estaria Jesus, que acabara de ser preso, e sai de lá dizendo: “Não conheço este homem”. A conclusão é simples: porque não era Jesus!

 

Como escritor de assuntos místicos, esotéricos e enigmáticos, uma coisa deixo bem claro a quem está lendo: Aos meus olhos isso não invalidade absolutamente uma vírgula a respeito do valor de Jesus; TINHA E TEM QUE SER ASSIM AINDA ATÉ POR CERTO TEMPO. Então, pelo contrário, aumenta exponencialmente minha admiração e meu ENORME RESPEITO que tenho por Jesus, uma PESSOA que considero a mais importante que já pisou no solo deste planeta. E digo mais: onde Jesus está a nossa "avançada" Ciência um dia estará. É difícil de aceitar, mas o próprio Jesus disse que nenhum de nós é diferente dele (Leia-se o evangelho de João), e que poderíamos fazer até mais do que ele fez.

 

Jesus era unicamente um grande iniciado, e essa é a ÚNICA [E ENORME] diferença entre ele e nós. E tinha uma missão, a qual cumpriu magistralmente. É pena que ela não pode ser entendida integralmente ainda pela maioria das pessoas. 

 

 

 

    APOLÔNIO DE TYANA:

 RIVAL DE JESUS OU O PRÓPRIO JESUS DE NAZARÉ?

 

 

  

   Apolônio de Tyana ou Jesus?

 

   Tão logo a Igreja se estabeleceu como poder temporal no império romano reconheceu Apolônio como um grande rival de Jesus, e tratou de destruir tudo o que pode da imagem e trabalho de Apolônio. O que nos restam hoje são fragmentos do Nuctemeron e outras poucas informações sofre a vida de Apolônio colhidas em documentos apócrifos. 

    Esta é uma gravura-pintura mostrando uma imagem de que facilmente podemos associar à iconografia conhecida de Jesus, através dos grandes mestres da pintura. Mas essa pintura não retrataria o Divino Mestre, mas Apolônio de Tyana.

 

            Não se conhecia a origem da pintura, mas depois se descobriu que seu proprietário em 1874 viajou e fora visitar o conhecido médium espírita N.B.Starr, que produzia quadros em estados de transe mediúnicos (como faz Gasparetto e vários outros médiuns modernos), e lhe foi pedido que fizesse uma pintura como bem entendesse seu espírito. Quando ele recebeu a obra, próxima da moldura estava uma inscrição que dizia “O Nazareno, por Rafael, N.B.Starr” [Rafael (1483-1520), célebre pintor e arquiteto italiano da Renascença, pintou madonas e várias cenas religiosas, e para o papa].

 

     Oito anos depois, quando o quadro já havia sido visto por numerosos espíritas, alguém notou que a figura seria na verdade Apolônio de Tyana, como vivera na Terra.

   

Permanece a pergunta: seriam Apolônio e Jesus de Nazaré a mesma pessoa?  

 

 

       INÍCIO: APOLÔNIO DE TYANA

 

Veja também: imagens, pessoas e fatos relacionados com Apolônio de Tiana

 

 

 ® DIREITOS RESERVADOS - LEI 9610 dos Direitos Autorais, de 1998.